Gratia Plena - 08/12 Dia da IMACULADA CONCEIÇÃO

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

,


Reza o dogma católico que a Bem-aventurada Virgem Maria, desde o primeiro instante de sua conceição, foi preservada da nódoa do pecado original, por privilégio único de Deus e aplicação dos merecimentos de seu divino Filho.
  • O dogma abrange dois pontos importantes:
a) O primeiro é ter sido a Santíssima Virgem preservada da mancha original desde o princípio de sua conceição. Deus abrogou para ela a lei de propagação do pecado original na raça de Adão; ou por outra, Maria foi cumulada, ainda no começo da vida, com os dons da graça santificante.


b) No segundo, vê-se que tal privilégio não era devido por direito. Foi concedido na previsão dos merecimentos de Jesus Cristo. O que valeu a Maria este favor peculiar foram os benefícios da Redenção, na previsão dos méritos de Jesus Cristo, que já existiam nos eternos desígnios de Deus.

  • Como se dá a transmissão do Pecado Original
Primeiramente, é necessário esclarecer em que consiste a transmissão do "Pecado Original". A lei geral: "Todos os homens pecaram num só" é o grande argumento dos protestantes contra a "Imaculada Conceição". Tal lei é certa e, segundo vamos demonstrar, não encontra a mínima contradição com o dogma católico.
S. Francisco de Sales, no seu "Tratado do amor de Deus", exprime essa verdade de um modo singelo e glorioso! "A torrente da iniqüidade original veio lançar as suas ondas impuras sobre a conceição da Virgem Sagrada, com a mesma impetuosidade que sobre a dos demais filhos de Adão; mas chegando ali, as vagas do pecado não passaram além, mas se detiveram, como outrora o Jordão no tempo de Josué, aqui respeitando a arca da aliança a torrente parou; lá em atenção ao Tabernáculo da verdadeira aliança, que é a Virgem Maria, o pecado original se deteve."

  • De que modo, afinal, contraímos nós o pecado original?
Tal transmissão não se pode fazer pela "criação" da alma; afirmar isso seria dizer que Deus é o autor do pecado, o que é impossível e repugna. Não se transmite tão pouco pelos pais, pois a alma dos filhos não se origina das almas dos pais, mas é criada por Deus. A transmissão se efetua pela "geração".
A alma é criada por Deus no estado de inocência perfeita, mas contrai a "mácula", unindo-se a um corpo formado de um gérmen corrompido, do mesmo modo que ela sofreria, se fosse unida a um corpo ferido. É a opinião de Santo Tomás.


Santo Agostinho diz a propósito: "Apesar de nascerem de pais batizados, os filhos vêm à luz com o pecado original, como do trigo inutilizado germina uma espiga, em que o grão é misturado com a palha."


Nesse mistério do nascimento de uma criança, pelo exposto, opera-se uma dupla conceição: a da alma e a do corpo. Foi nesse momento quase imperceptível que Deus preservou do pecado original a "pessoa" de Maria Santíssima. Criou sua alma, como criou as nossas. Os progenitores de Nossa Senhora formaram-lhe o corpo, como nossos pais formaram o nosso. Até aqui tudo é natural; o milagre da preservação limita-se ao instante em que o Criador uniu a alma ao corpo.
Desta união devia resultar a "transmissão do pecado". Deus fez parar o curso desta transmissão, de modo que nela a união se operou, como se tinha realizado na pessoa de Adão, quando Deus, depois de ter feito o corpo do primeiro homem, soprou nele o espírito, constituindo-o na perfeição da inocência e justiça original.


Maria é uma segunda Eva... mas Eva antes de sua queda! Tal é a sublime doutrina da Igreja de Cristo.

  • A Exceção à Lei Geral
Seria possível objetar-se que Deus não tem poder para derrogar as leis gerais por Ele mesmo estabelecidas?


Seria negar a onipotência divina e fixar limites Àquele que não os tem.


É uma lei geral que "todos pecaram num só". Tal fato é universal, e todas as criaturas a ele estão subordinadas. Todavia, nada impede que, antes de efetuar-se a união da alma com o corpo, Deus possa intervir e suspender "um dos seus efeitos", o qual é, precisamente, a transmissão desse "pecado original".
A Sagrada Escritura está repleta dessas derrogações de leis gerais. O movimento do sol e da lua está matematicamente fixado pela lei da natureza; entretanto, Josué não hesitou em fazê-lo parar: "Sol detem-te em Gibeon, e tu, lua, no vale de Hadjalon. E o sol deteve-se e a lua parou" (Jos. 10, 12-13).
É uma lei que as águas sigam a correnteza do seu curso. Entretanto, "Moisés estendeu a mão..." o mar deixou livre o seu leito, partiram-se as águas, com um muro à sua esquerda e à sua direita (Exod. 14, 21 e 22).


É uma lei que o um morto fique morto até à ressureição geral; entretanto, o próprio Cristo-Deus, diante do cadáver de Lázaro, já em putrefação, exclamou: "Lázaro, sai!" (Jo 11, 43 e 41). E imediatamente aquele que estava morto saiu vivo.


Que prova isso, demonstra que "para Deus nada é impossível" (Lc 18, 27).


Se a lei geral fosse superior ao poder de Deus, como ficaria o Homem-Deus? Ele, em sua natureza humana, foi preservado do pecado original, mesmo nascendo de uma mulher. Se fosse impossível a Deus manter Imaculada a sua Mãe, também seria impossível manter "imaculado" o Seu Filho único, que nasceu verdadeiro Homem e verdadeiro Deus.

FONTE: Aqui!

2 comentários:

Evaldo Roque Tartas disse...

Estou a pensar: do jeito que é exposta pela Igreja a doutrina sobre o dogma da Imaculada Conceição pode-se entender que Maria não teve mérito nenhum, nada fez por merecer pois foi tudo graça de Deus e por ter nascido na totalidade da graça de Deus seria até menos merecedora do que qualquer outro pecador que precisa esforçar-se para viver na santidade. Maria, por ser imaculada foi agraciada com a graça de jamais pecar, mesmo que quisesse seria incapaz de pecar pois Deus a privilegiou em relação aos demais humanos.
Então Maria seria santa porque Deus a fez assim e não por uma opção pessoal dela.

Giovana disse...

Salve Maria!

Muito boa sua reflexão... mas vamos pensar juntos, ok?

Imaculado Conceição é ela ter nascido sem a mancha do pecado original, preservada deste sua concepção. Isto é a Imaculada Conceição (concepção)! Então tanto Maria como Eva tiveram a mesma chance de vencer a tentação da serpente. Eram as duas isentas do pecado, porém a Virgem Santíssima não pecou. Por quê? Primeiro pq não quis pecar e por que não quis? Ela mesma responde: "Eis aqui a serva da senhor!"
Como Eva poderia ter caído em tentação, mas isto não aconteceu. Eva desejou conhecer da árvore do bem e do mal, enquanto a Santíssima Virgem colocou-se como serva de Deus e um servo não tem vontade própria, pq sua vontade é a vontade de seu senhor.
Interessante que anos depois Seu Filho Jesus, no horto das oliveiras, coloca-se da mesma forma diante do Pai: "Que faça-se a sua Vontade e não a minha!"

Então meu caro, a Santíssima Virgem teve sim grandes virtudes, ela é chamada pelos Santos de Manancial de Deus!

Termino com uma frase de São Luís Maria de Montfort:

"Deus Pai só deu ao mundo seu Unigênito por Maria. Suspiraram os patriarcas, e pedidos
insistentes fizeram os profetas e os santos da lei antiga, durante quatro milênios, mas só
Maria o mereceu, e alcançou graça diante de Deus, pela força de suas orações e pela
sublimidade de suas virtudes. Porque o mundo era indigno, diz Santo Agostinho, de receber
o Filho de Deus diretamente das mãos do Pai, ele o deu a Maria a fim de que o mundo o
recebesse por meio dela.
8) Cf. Lc 1, 30; Invenisti enim gratiam apud Deum.

Em Maria e por Maria é que o Filho de Deus se fez homem para nossa salvação."

Postar um comentário

Salve Maria!

Que o Espírito Santo conduza suas palavras. E que Deus nos abençoe sempre.

***Caso o comentário seja contrário a fé Católica, contrário a Tradição Católica SERÁ DELETADO, NEM PERCA SEU TEMPO!
***Para maiores esclarecimentos: não sou adepta deste falso ecumenismo, não sou relativista, não sou sincretista, não tenho a mínima vontade de divulgar heresias; minha intenção não será outra a não ser combater tudo que cito acima!

Por fim, penso que esclarecidas as partes, que sejam bem vindos todos que vierem acrescentar algo mais neste pequeno sítio.