Sola Scriptura, Sola Fide e Sola Gratia - HERESIAS PROTESTANTES

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011



 Aqui está a BASE DA DOUTRINA PROTESTANTE e suas HERESIAS descaradas:


- 1° Pelo pecado original o homem está decaído e tudo que faça é pecado mortal; a salvação pelas boas obras é impossível.
- 2° Deus impõe sua Lei no Antigo Testamento, mas ela é impraticável; a finalidade desta Lei é desencorajar, desesperar e finalmente nos lançar nos braços da misericórdia.
- 3° Depois da Lei ter-nos dado o desespero, faz-nos brilhar a fé, pois a Salvação vem dos méritos de Cristo morto na Cruz.
- 4° Desde toda a eternidade Deus predestinou uns para o inferno (para aqueles que recusam sua Lei), garantindo a Salvação para outros (aqueles que aceitam a Lei).
- 5° A eficácia dos Sacramentos do Batismo e da Eucaristia é apenas a fé que suscita no coração de quem os recebe.


Pela Escritura sabemos que há somente duas religiões na história: a religião verdadeira, composta por aqueles que são da raça da mulher, e a anti-religião, que é constituída pela raça da serpente. (Gn, 3,15)
Também Santo Agostinho nos fala em duas religiões, quando define as suas famosas duas cidades:
"Dois amores deram origem a duas cidades: o amor de Deus levado ao desprezo de si mesmo deu origem à cidade de Deus; e o amor de si mesmo levado ao desprezo de Deus, deu origem à cidade do homem."
E Santo Inácio usa as duas bandeiras como metáfora da luta contínua entre essas duas religiões na história.
Assim, vemos que apesar da enormidade de seitas conhecidas hoje, só há duas religiões no mundo, a primeira delas a religião verdadeira, a religião Católica, divinamente revelada e única guardiã da verdade divina revelada. E a outra, composta por essa infinidade de seitas, que é a anti-religião, a religião do demônio, a sinagoga de satanás.


O sola scriptura (somente a Escritura) é contra a Escritura, pois impinge ao livro sagrado um poder mágico de auto-interpretação que ele não possui. Algumas pessoas chegam a usar a Bíblia como cartas de tarô, abrem aleatoriamente suas páginas e afirmam que a Palavra lá escrita é a mensagem de Deus para aquele momento. Quando os protestantes pretendem exaltar a Bíblia, na verdade a destroem. Lutero mesmo, na gênese desse movimento sectário, retirou vários livros da Bíblia (não materialmente, mas os desqualificando - Tiago como sendo uma epístola de palha, Apocalipse como sendo nem evangélico nem profético), mostrando que a Bíblia era escrava da vontade dos reformadores.
Ao desprezar tudo o que Lutero considerava humano em relação à revelação, como os livros deuterocanônicos e a tradição, bem como os concílios e a hierarquia, de fato Lutero se opunha a tudo o que era material, ele se opunha à criação. Para Lutero, esses livros retirados da Bíblia não produziam a experiência que despertaria no fiel a noção de salvação, e por isso não poderiam ser inspirados. Tais livros não traduziam de fato o kerigma, que é - mais importante que as verdades reveladas - o anúncio salvífico.


Ao propor o sola scriptura, Lutero queria a libertação da matéria, para ouvir somente a voz (divina) que falaria ao interior do homem. Porém não foi isto que Cristo deixou! Cristo edificou sua Igreja e deu autoridade aos Sacerdotes, e nos mostrou que devíamos ter uma hierarquia, da mesma forma que um corpo tem membros e cada membro sua função.


O sola fide (somente a fé) é qualquer coisa, menos fé verdadeira. Pois para o protestante o que vale é a experiência com Cristo, e não a aceitação das verdades reveladas por Deus.
Geralmente se considera que o sola fide se opõe apenas às boas obras. Porém, se nos detivermos um pouco mais nesse princípio, veremos que ele se opõe à participação da inteligência na obra da regeneração, pois a fé protestante não pode passar pela razão, mas provém unicamente da emoção e da experiência vivencial. Assim é evidente sua recusa a forma que Deus deu à criação; pois somos racionais, e nossa fé antes de emotiva tem que ser racional. O coração do homem é como um mar agitado e a fé tem que ser solidificada na razão; da mesma forma que 2+2 sempre serão 4, eu sempre irei crer em Deus e em minha Igreja, aconteça o que acontecer, esteja eu sentindo o que for, minha convicção não depende e não se ampara em minhas emoções.
A inteligência - desprezada e odiada por Lutero - impede que o homem chegue ao verdadeiro conhecimento de Deus, que segundo Lutero se dá através da experiência catalisada pela leitura da Bíblia.


O sola gratia vai contra a verdadeira graça santificante. Esse princípio atesta que o fiel justificado está livre de pecado, não porque não os possua mais ou não possa cometê-los, mas porque os têm encobertos pela graça de Cristo. Assim, o justificado tem graça e pecado ao mesmo tempo. Com isso, dá-se ao fiel a ilusão de impecabilidade, e mesmo a permissão de pecar com a garantia do perdão antecipado -
Com isso, Lutero habilmente conseguiu impugnar os dez mandamentos, ao dizer que o homem é incapaz de praticá-los e, portanto, não pode ser culpado por cometê-los.


Ora, a graça é propriamente a participação na vida divina, pois a Santíssima Trindade de fato habita na alma justificada pelos méritos de Cristo. Como poderia habitar Deus e pecado na mesma alma como afirmava Lutero? É impossível, e uma ofensa à graça divina. Por isso o pecado mortal é a expulsão de Deus da alma, cuja presença se adquire com o Batismo e se recupera com a Confissão.

11 comentários:

Almas Castelos disse...

Fiquei profundamente tocado e comovido por suas palavras heróicas de fé. Seu Blog é maravilhoso, a descrição do seu perfil é de uma heroina da fé. As palavras que aparecem quando se coloca um comentário são da mais alta bravura. Vi que voce estava seguindo meu blog, mas como voce não disse que tinha blog eu fiquei quieto. Mas hoje olhando seu perfil descobri esse Blog Maravilhoso. Não só estou te seguindo tambem, como coloquei o seu link no meu Blog. Voce está de parabéns. São de catolicos assim que precisamos. Pode me considerar seu amigo.

Giovana disse...

Salve Maria!

Comovida fiquei eu!
Não mereço estas palavras, pq sou pequena e covarde, mas sim Deus, que me faz grande e corajosa!

Minha coragem vem da fé que Deus me presenteia.

Obrigada.

Deus o abençoe sempre.

Luciano Beckman. disse...

Excelente postagem!

Seu blog está cada vez melhor, como pode?! rs

Salve Maria!

Giovana disse...

Salve Maria!

Um elogio destes vindo de vc aumenta muito minha responsabilidade diante de Deus, sabia disso???

Por favor me add no seu msn, preciso falar com vc:

gi_davi@hotmail.com

Fiquemos com Deus!

MANUEL FIGUEIREDO disse...

Olá Giovana!

Tu não devias dizer estas coisas dos nossos “irmãos protestantes” (ehehehehehe, eu não sou irmão desses demónios) pois na declaração conjunta assinada pelo cardeal Edward I. Cassidy, representando a Santa Sé, e pelo bispo luterano Christian Krause representando os hereges.

Nos artigos abaixo transcritos que para os modernistas são todos irmãos.

§5. É isso o que pretende a presente Declaração Conjunta. Ela quer mostrar que, com base no diálogo, as Igrejas luteranas signatárias e a Igreja católica romana [9] estão agora em condições de articular uma compreensão comum de nossa justificação pela graça de Deus na fé em Cristo. Esta Declaração Comum (DC) não contém tudo o que é ensinado sobre justificação em cada uma das Igrejas, mas abarca um consenso em verdades básicas da doutrina da justificação e mostra que os desdobramentos distintos ainda existentes não constituem mais motivo de condenações doutrinais.

§13. No século XVI, a interpretação e aplicação contrastantes da mensagem bíblica da justificação constituíram uma das causas principais da divisão da Igreja ocidental, o que também se expressou em condenações doutrinais. Por isso, para superar a divisão na Igreja, uma compreensão comum da justificação é fundamental e indispensável. Acolhendo resultados da pesquisa bíblica e percepções da história da teologia e dos dogmas, desenvolveu-se no diálogo ecumênico desde o Concílio Vaticano II uma nítida aproximação no que diz respeito à doutrina da justificação, de modo que a presente DC pode formular um consenso em verdades básicas da doutrina da justificação a cuja luz as correspondentes condenações doutrinais do século XVI não mais se aplicam ao parceiro de hoje.

§41. Com isso também as condenações doutrinais do século XVI, na medida em que dizem respeito à doutrina da justificação, aparecem sob uma nova luz: a doutrina das Igrejas luteranas apresentada nesta Declaração não é atingida pelas condenações do Concílio de Trento. As condenações contidas nos escritos confessionais luteranos não atingem a doutrina da Igreja católica romana exposta nesta Declaração.

Depois disto que mais se irá dizer, talvez lçevar Martinho Lutero aos altares, o que não me admira nada.

amos silvino 2008 disse...

Nunca vi tanta bobagem juntas em um blog!

Giovana disse...

"Nunca vi tantA bobagEM juntAS em um blog!"

Vá aprender português primeiro e depois venha com as orelhas mais curtas comentar em meu Blog.

Tô arrasada com seu comentário, acho que até perco o sono e o apetite.

Porque será que eu sinto cheiro de herege ... um fedozinho de enxofre!


Salve Maria!

Giovana disse...

"Sr. Cidadão do inferno",

Diante a imensa estupidez do SEU comentário resolvi poupar meus leitores dessa demonstração viva do que é ser um asno:

"Qualquer tolo pode publicar o que pensa, inclusive para defender uma instituição assassina e mercenária".

Qualquer tolo, qualquer imbecil, qualquer demente; prova tal é a presença do "Sr. Cidadão do inferno" defendendo o filho de satanás Lutero.

Obs: Faça o SEU blog e lá deposite SEU vômito. Faça do SEU blog a SUA latrina.

igreja batista palavra da cruz disse...

Oi giovana, tudo bom contigo? Que Deus te abençoe de uma forma abundante e voce sejas rica de sabedoria e entendimento espiritual.
gostei muito daquilo que voce escreveu, muito bom mesmo. Parabéns!!!
Só não gostei da sua atitude para com o sr. Silvino. Voce na posição de uma cristã, não agiu como o o seu Senhor, porque segundo eu entendo, Jesus quando era ultrajado, não revidava com ultraje, quando era maltrado, entregava-se Aquele que julga tudo retamente.
Eu penso que o que deve caracterizar um cristão é o AMOR, voce não acha?
Que o Senhor nos ajude a amar aqueles que não concorde conosco. Deus nos conquistou com o Seu amor, nós também devemos derrotar os nossos inimigos com o amor, ou seja, amando-os. (romanos 12;21)
Giovana, me permita dizer só mais uma coisa: Está escrito na Bíblia sagrada que com a medida que julgamos os outros seremos julgados também e voce o chamou de cidadão do inferno!! Voce percebe o tamanho da besteira que voce disse? Que Deus nos proteja de julgarmos os outros.
Deus continue te abençoando.
Um beijo no seu coração - Deus abençoe a sua familia.
Claudio.

Giovana Cunha disse...

Salve Maria!

Pois então né Cláudio, faça bom uso de suas palavras com vc mesmo, pois quem falou BESTEIRA foi vc e quem me julgou MUITO mal foi vc também!

Pq? Pq a pessoa que me escreveu, ELA MESMA, se intitulou "Cidadão do Inferno" e por este motivo eu usei ASPAS lá no texto!

Dureza hein?!

EAT-Fortaleza disse...

SALVE MARIA!
Também fiquei feliz em encontrar seu BLOG em minhas andanças pela Internet, Giovana. Adorei a sua sinceridade e coragem, além de seu discurso independente, que não liga para nenhum modismo modernóide contrário à Tradição e à Santa Sé. Creio que poderemos ser bons amigos, embora não sejamos (nem deveríamos ser) 100% iguais, pois Deus não é totalitarista e não fez cada alma para tirar xerox das demais. Assim sendo, por crer numa possível amizade, decidi inscrever-me em seu BLOG e, se você for capaz de entender um católico como eu (que luta para desmascarar o protestantismo luterano), mas tem simpatia pela igreja ortodoxa grega e pela igreja anglicana, então lhe declaro que será uma honra para nós vê-la também inscrita em meu BLOG. É isso (JV).

Postar um comentário

Salve Maria!

Que o Espírito Santo conduza suas palavras. E que Deus nos abençoe sempre.

***Caso o comentário seja contrário a fé Católica, contrário a Tradição Católica SERÁ DELETADO, NEM PERCA SEU TEMPO!
***Para maiores esclarecimentos: não sou adepta deste falso ecumenismo, não sou relativista, não sou sincretista, não tenho a mínima vontade de divulgar heresias; minha intenção não será outra a não ser combater tudo que cito acima!

Por fim, penso que esclarecidas as partes, que sejam bem vindos todos que vierem acrescentar algo mais neste pequeno sítio.