Auto-Comunhão, UM SACRILÉGIO!

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Salve Maria!

Graças a Deus estou longe destes absurdos; pois na Santa Missa (Tridentina) não há perigo de ocorrer estas hediondices!

Porém, infelizmente, muitos AINDA estão nesta fria; pelas pessoas de boa fé ainda perco meu tempo  postando coisas em relação a "missa" moderna ou nova, como queiram.





Bem, Padre Paulo Ricardo na minha concepção fica muito a dever à Santa Tradição, mas é sacerdote e a parte docente da Igreja.

Também deixarei o link para quem desejar estudar o Documento por ele citado, clique em Redemptionis Sacramentum.

3 comentários:

Um blog como Aquele disse...

Gi !!! Na missa que frequento quem dá a comunhão é o padre ou os ministros de Eucaristia. Beijos querida e bom fim de semana !!!

Leonardo disse...

Pelo que estudei, mesmo na atual legislação, a camunhão nas duas espécies tem caráter de exceção e só pode ser dada pelo padre. Neste caso, é proibido que seja dada ou tocada por ministros extraordinários. O padre não disse que a Igreja dá a Comunhão repetindo o Cristo que, pelo Seu Sacerdócio Real, deixou evidente que a Redenção e a Graça decorrente são ofertas gratuitas de Deus ou por iniciativa incondicional de Deus. Não é só a Igreja que dá. A Igreja dá, porque Deus deu e mandou dar. Se não repetimos Cristo naquilo que O toca (porque Ele mesmo disse que "tinha poder de dar Sua vida e de retomá-la"), roubamos de Cristo, algo que nem o Pai aceitou restringir em relação ao Seu Filho. Conclusão: quem faz "auto-comunhão" demonstra soberba, porque se coloca na posição de tomar de Deus sem antes suplicar com humildade e reverência. Os santos diziam que temiam e tremiam na hora da Comunhão, entre eles, Santa Tereza e São Francisco, mas que ousavam se aproximar apenas pela magnanimidade divina, a qual deles exigia a confiança no poder divino de nos dignificar pela graça. Auto-comunga quem acha que Deus depende de nosso amor pelo qual pareceria mendigar. Desde São Paulo aprendemos a exigência de buscarmos dignidade para comungar, sob pena de sermos réus do Corpo e do Sangue do Senhor.

Giovana disse...

Salve Maria!

Caríssimo leonardo seu comentário veio somar a este artigo ... porém o vídeo terminou de forma estranha (deu-me esta impressão), pareceu ser cortado; mesmo eu não gostando da posição "em cima do muro" do padre Paulo Ricardo em relação a muitas coisas dentro da Igreja, creio que ele comentou mais alguma coisa sobre o tema e na edição foi cortada sua fala ... nada de surpreender visto ele ter sido entrevistado na Canção Nova. Então creio que ele provavelmente explicaria melhor a questão; isto penso eu!

Obrigada pelo comentário.

Postar um comentário

Salve Maria!

Que o Espírito Santo conduza suas palavras. E que Deus nos abençoe sempre.

***Caso o comentário seja contrário a fé Católica, contrário a Tradição Católica SERÁ DELETADO, NEM PERCA SEU TEMPO!
***Para maiores esclarecimentos: não sou adepta deste falso ecumenismo, não sou relativista, não sou sincretista, não tenho a mínima vontade de divulgar heresias; minha intenção não será outra a não ser combater tudo que cito acima!

Por fim, penso que esclarecidas as partes, que sejam bem vindos todos que vierem acrescentar algo mais neste pequeno sítio.