Mesmo que por minutos ... deixe-os viver!

terça-feira, 12 de abril de 2011

Salve Maria!

Hoje resolvi postar aqui exemplos verdadeiros do que é ser MÃE e ser PAI; porque a Quaresma também é tempo propício para refletirmos a respeito da VIDA; vida que começa nas primeiras frações de segundo do encontro do espermatozóide com o óvulo ... vida que merece ser cuidada, zelada, amada seja lá qual for a realidade dela.

Fico passada quando vejo pessoas lutando pela natureza, pelo ecossistema, pelos direitos daquilo e disso e são favoráveis a matança de seres humanos! Ou se não são, ainda assim se calam, numa covardia odiosa!

Já cheguei ao desprazer de ouvir de um cidadão "Mas o homem não está em extinção!"

QUE ABSURDO MEU DEUS! A que ponto chegamos?! Diante uma exclamação desta eu pergunto: Que pessoa é esta? Que mente doentia é esta? Que sentimentos tem uma pessoa assim? Qual a moral e a educação que direcionam um cidadão que pensa isto??? Não vou nem questionar se uma criatura desta tem fé, porque com certeza não tem!

Depois aparecem uns lunáticos dando tiros para todos os lados, matando, fazendo estragos e as pessoas ficam espantadas, sem entenderem!!! Quem planta, colhe!

Fica aqui minha profunda admiração a todos pais, que a exemplo deste testemunho abaixo, dão aos seus filhos o direito de viver, mesmo que por minutos:


Oi, meu nome é Karine tenho 21 anos, meu marido é o Thiago tem 24 anos, somos casados a dois anos e meio. No dia 15 de janeiro deste ano descobri que estava grávida, nosso primeiro bebe, o Thiago estava inexplicavelmente feliz, e eu também estava contentíssima.
Começamos a reformar nosso apartamento estávamos empolgadissimos, minha sogra começou a comprar algumas roupinhas e fraudas mesmo sem saber se era menino ou menina... Era um bebe muuuitoo esperado!

No dia 16 de abril fiz uma ultra-sonografia, meu obstetra disse

"parabéns é um menino, mas eu não estou conseguindo medir a cabecinha, porque está muito encaixado, mas não se preocupe não é nada serio". Então ele me pediu para fazer um morfológico, não me pediu urgência, nem disse que era importante.
Era um meninão... Mais que depressa compramos o carrinho, fomos ver os moveis, compramos, ganhamos roupinhas azuis, começamos ver as coisinhas...mas agora já sabíamos que cor comprar.

Fomos no dia 27 de abril fazer um morfológico, o Thiago e eu, então o medico nos olhou como quem não tem algo bom a dizer; o Thiago e eu já havíamos conversado que se algum dia tivéssemos um filho com "defeito'" ou alguma síndrome nós o amaríamos da mesma maneira; então quando percebemos que algo estava acontecendo eu e ele ficamos desesperados perguntei o que estava acontecendo, ele me disse que tinha um problema de má formação. A minha pergunta era: "ele vai viver?", era isso que eu queria saber, pra mim não importava como ele viesse, eu queria saber se ele viveria esta era minha pergunta. Então ele nos disse, "não", a anencefalia é incompatível com a vida, seu bebe tem 0% de chances de sobreviver. Ele não vai viver!

Eu entrei em desespero era como se tivessem me jogando num poço fundo, um poço sem fim, um poço que não ia ter fundo... E eu caía, caía, caía... Sem fundo! O medico saiu da sala, eu fiquei lá deitada ouvindo o Thiago chorar por alguns minutos, acho que foi uns três minutos, mas na hora parecia uma eternidade. Então eu me levantei, fui até o banheiro ao lado e falei com Deus: "Senhor, obrigada por tudo o que eu tenho, perdoe meus erros minhas falhas, e me de forças para passar tudo o que eu tenho que passar!", essas foram minhas únicas palavras para Deus, eu não pedi um milagre, mas força, porque eu sabia que não seria fácil. O medico me disse que o melhor era que eu interrompesse a gestação, assim poderia tentar mais rápido ter filhos saudáveis, disse que não era nada com agente, e que os próximos seriam perfeitos. Ele ligou para meu obstetra, fui até lá no consultório dele, eu esperei 02 horas e meia para ser atendida, quando entrei na sala dele ele me falou assim: "é... não temos boas noticias não é? Seu bebe tem anencefalia, ele não vai viver, essas coisas acontecem, eu mesmo já perdi dois filhos, não assim com aborto, mas perdi, o melhor a fazer é interromper a gestação, eu mesmo faço o aborto, você precisa procurar um advogado, pedir uma autorização judicial, e trazer para mim"... Foi falando e levantando, pois estava com muita pressa. Ele foi horrível, eu não sabia o que era não sabia ao certo o que estava acontecendo, e ate onde tinham me dito meu bebe não viveria.

Cheguei em casa, no mesmo dia desci no apartamento do vizinho de baixo, ele é advogado, expliquei o que estava acontecendo e pedi para que ele visse todo o procedimento para a interrupção da gravidez, pois assim os médicos disseram para fazer, e me parecia a solução mais obvia e fácil, quanto antes tirar melhor.

No outro dia de manha fui trabalhar, entrei na internet para pesquisar mais o caso, o que era, encontrei um site que falava sobre anencefalia, lá tinha a estória da Anouk, da Giovana, e de outros bebes explicava realmente sobre anencefalia, o que era como ia acontecer, e que eu podia também prosseguir com a gestação, na estória da Giovana tinha o link de um site www.anencefalia.com.br eu cliquei e entrei, e descobri outras mães também, li a historia da Mônica e do Marcelo.

Imprimi tudo levei para meu marido ver, então decidimos seguir em frente com a gravidez, e ama-lo no tempinho que ele ia passar na minha barriga, e naquela noite escolhemos o nome para nosso anjo MIGUEL (quem como Deus?), Quem como Deus? Existe significado tão poderoso? Deus incomparável! Alem de ser um anjo mensageiro, um anjo que veio trazer mensagens lindas para todos nós.

Procurei outro medico para prosseguir minha gestação, não queria que o Miguel nascesse nas mãos de um cavalo como aquele medico. Fui falar com um especialista, foi muito atencioso apesar de eu acreditar que ele não era muito a favor da minha decisão, ele me indiciou outro médico que também quis me induzir ao aborto, ele disse que meu bebe já estava condenado, e que eu poderia correr risco de vida (da pra acreditar?).

Procurei na minha lista de convenio comecei a ligar para encontra um medico que fosse comigo até o fim. Encontrei a Dra. Karen Morelli, um anjo que me acompanhou ate o parto, com muito carinho, ela cuidou de mim e do Miguel, foi ótima e gentil, muito carinhosa.

Nenhuma de nós mães, podemos dizer que foi fácil... Mas algumas de nós podemos dizer que foi lindo!

Foi lindo ter o meu Miguel comigo no tempo que ele ficou.

À noite antes de dormir eu cantava para ele, eu lia a bíblia em voz alta, o Thiago conversava com ele. De manha, eu me virava para o lado do Thiago, colocava minha barriga nas costas dele, e ele chutava o papai. Toda manhã.

Eu contava para todo mundo que o Miguel era especial, queria mostrar como o meu Deus era forte, como ele não tinha me abandonado. Eu sabia que tinha que falar, sabia que cada um através da minha estória aprenderia algo, eu queria ser um exemplo, não queria despertar pena nas pessoas, queria despertar vontade de lutar, de agradecer a vida, a vontade de viver. Então comecei o clamar a Deus, comecei a orar, a buscar a face do Senhor. Eu cri no Deus do impossível, e sabia que ele poderia fazer, sei que ele pode. Eu tinha a certeza do milagre, continuei fazendo as coisas dele, eu pintei o quartinho, o Thiago queria fazer nuvenzinhas no teto montamos o bercinho.

Eu resolvi fazer um chá de bebe, minhas primas organizaram, foi lindo. E naquele dia eu disse coisas lindas que estavam no meu coração. Disse que não importava o que aconteceria, eu iria crer, eu pedi muita fé pra Deus, fé para acreditar no milagre, não foi fácil acreditar, é muito difícil ter fé, ainda mais quando todos os ultrassons mostram seu bebe com a metade da cabeça.

Não me importava com o futuro, queria viver o agora com meu filho, assim como Zaquel, eu queria subir o mais alto da montanha para chamar atenção de Deus. E sei que ele me ouviu, por algum propósito que eu não conheço, ele não pode curar o Miguel, mas eu ainda creio, sei que se clamarmos ele nos ouve, e se for possível ele atende. Eu sei que não é Deus que fez isso... Porque Deus não tem doença no céu, lá só existe perfeição, a doença é aqui da terra.

Eu vivi momentos lindos com ele na minha barriga, eu o amei muito, muito mesmo. Ele me fez sorrir, e quem me via, via o amor de Deus em mim.

Foi um amor lindo e indescritível, as pessoas se apaixonaram pelo Miguel. Isso me fazia sentir-me forte.

Ele nasceu no dia 01 de setembro de 2009 ás 13h30min da tarde.

Quando ele nasceu, me trouxeram ele, já com a toquinha, ele era lindo grande rosado... Lindo demais. Perguntei se podia dar um beijo no pezinho dele, eu beijei e cheirei... Ai que cheiro bom!

Na sala de recuperação não via a hora de vê-lo, fui a  primeira a chegar e a ultima a sair de lá, mal sentia meus pés e já dizia que estava boa... Enchi o saco das enfermeiras até voltar para o quarto, o Thiago veio me ver, disse que estava com o Miguel, "ele é lindo, é o neném mais lindo do mundo" ele assistiu o parto ficou muito emocionado. Até a enfermeira saiu do quarto, não de medo ou susto mais de emoção, ela saiu para chorar. Foi muito emocionante e lindo.


Quando o vi chorei muito, mas não sabia por quê. Pois eu estava muito feliz de vê-lo, e muito triste por saber que ele iria partir. Não sabia quanto tempo, horas talvez. Conversei com ele. Pedi para deixarem tirar fotos, não deixaram, de madrugada fui vê-lo novamente, ele estava lá lindo, peguei ele no colo, chorava muito não conseguia me conter, era uma sensação inexplicável, sentia uma sensação de paz e orgulho de mim mesma, no outro dia de manha fui novamente vê-lo peguei no colo e mais uma vez implorei para que deixassem tirar foto dele. Assim algumas enfermeiras me ajudaram, fechamos a cortina e nos divertimos tirando foto do Miguelzinho, eu pegava, o Thiago pegava, cheirei tanto ele...tinha um cheirinho tão bom.

Ele sorria para nos, e fazia uns sons gostosos coma boca... De ahhhh... Era lindo, cheiroso e gostoso, estava ali no meu colo, não numa lata de lixo ou num pote de experiência, a sensação de paz é maravilhosa. Cheirei muito ele. Beijei muito ele.

Eu fiz isso, eu não abortei ... Eu me dei essa chance, eu me dei este privilegio, eu aproveitei o que a situação podia me dar de bom. Eu não tive somente perdas, eu ganhei momentos, que nem as fotos podem mostrar. Eu passei a mão sobre o corpinho dele, e senti a mãozinha dele fechar entre meus dedos. Eu vi uma alegria no rosto do Thiago, e esta alegria fui eu que permiti. O Thiago foi um pai incrível, companheiro, presente, ele pegava o Miguel, beijava, nos demos todo o amor do mundo, e isso me faz sentir alguém muito especial...

Eu ficava olhando para ele, e era uma mistura de sensação. Eu conversava com as mães que tinham ganhado bebe... Eu estava muito forte... Eu fui muito forte.

Dia 02 de setembro ás 19h30min ele partiu, foi para os braços de Deus. Não foi fácil, não é mesmo... Mas foi o amor mais lindo de ser vivido, inabalável.

Diz o senhor: "no mundo tereis aflição, mas eu sou contigo". Não é lindo este versículo.

Nós passamos pelo vale da sombra da morte, mas não temi mal algum, porque o meu Deus me carregou no colo. E os médicos estavam errados, porque ele viveu! Ele viveu 01 dia e 06 horas, era o tempo que ele precisava para viver...
Karine e Thiago.

5 comentários:

Maria Luiza disse...

Ah! Giovana, estou aqui a chorar por tão belo testemunho de verdadeiros pais comprometidos com Deus. Nos meus terços tenho pedido muito a Maria, nossa imcomparável Mãe que proteja minha prima que também rejeitou o aborto a conselho médico. Espero confiante. Meu abraço!

Giovana disse...

Salve Maria!

Querida Maria Luiza fico muito feliz de sempre encontrá-la por aqui e digo o mesmo; eu também chorei com este testemunho... minhas lágrimas foram de emoção de poder estar diante de pessoas tão grandes, mesmo que apenas virtualmente; pessoas tão nobres, VERDADEIROS SERES HUMANOS, IMAGEM E SEMELHANÇA DE DEUS!

Eu não tenho dúvida da alegria que invade esta mãe e este pai toda vez que eles recordam os momentos que viveram ao lado do pequeno Miguel! Este garotinho lá do céu deve ter muito orgulho dos seus pais e os Santos Anjos junto com Miguel devem louvar e agradecer a Deus a vida da Karine e do Thiago.

Peçamos a Deus mais pessoas assim; que não tem medo do sofrimento e que sabem que nestas aparentes perdas haverá muito mais ganho.



Fiquemos com Deus!

Graziela disse...

Salve Maria!
Realmente, a Giovanna fez de propósito!
Creio que todos que lerem esse testemunho não terão como conter as lágrimas e pensarão duas vezes sobre a possibilidade de abortar um bebê anencefalo.
Que o anjinho Miguel interceda por nós.
E Deus abençõe cada vez mais e com muitos filhos esse jovem casal de tanto amor e fé.

Felipa disse...

Sinto pena de não ter lido esta história antes, eu a teria publicado no meu blog em fevereiro. Nessa altura eu tomei a iniciativa de fazer uma novena pelos abortados, quando fazia 4 anos que foi aprovado o aborto em Portugal e foi no dia de Nossa Senhora de Lourdes (11 de fevereiro).
Linda e emocionante demais, esta história, desejo a maior força para estes maravilhosos pais e que Deus lhes conceda um novo anjo.
Beijinhos

Joelma Benicio*´¯`*.¸¸.*´¯ disse...

Salve Maria,

Viver é realmente o mais fascinante!

O Senhor faz o que é preciso quando fazemos Sua vontade.

Deixemos a vida viver...

Beijão no coração.

Postar um comentário

Salve Maria!

Que o Espírito Santo conduza suas palavras. E que Deus nos abençoe sempre.

***Caso o comentário seja contrário a fé Católica, contrário a Tradição Católica SERÁ DELETADO, NEM PERCA SEU TEMPO!
***Para maiores esclarecimentos: não sou adepta deste falso ecumenismo, não sou relativista, não sou sincretista, não tenho a mínima vontade de divulgar heresias; minha intenção não será outra a não ser combater tudo que cito acima!

Por fim, penso que esclarecidas as partes, que sejam bem vindos todos que vierem acrescentar algo mais neste pequeno sítio.